segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Como joga este FC Porto?


Desde que Jesualdo Ferreira deu a titularidade a Hulk, que tem actuado na frente de ataque com Lisandro Lopez, que muito se tem discutido sobre a forma de jogar dos tricampeões nacionais.

Uns dizem que o 4-3-3 se manteve, com o trio da frente a ser formado por Lisandro à direita, Hulk no centro e Rodriguez na esquerda, sendo o meio campo composto por um triângulo, com Fernando no vértice mais recuado e com Meireles e Lucho à sua frente.

Outra corrente defende que o FC Porto alterou o sistema e que joga agora em 4-4-2, com Hulk e Lisandro no ataque, sendo que no meio jogam Rodriguez à esquerda, Meireles e Fernando no meio e Lucho mais sobre a direita, sendo que quando joga Tomás Costa este passa para a direita e Lucho para o meio, saindo ora Meireles, ora Fernando.

Haverá certamente outras opiniões, porém a minha é algo diferente e foi o que voltei a ver hoje diante da Académica. Este FC Porto joga em 4-1-3-2. Fernando é o trinco, à sua frente estão Rodriguez mais sobre a esquerda, Meireles no meio e na direita aparece Lucho/Tomás Costa. Na frente Hulk e Lisandro, sendo que o argentino parte muitas vezes da direita, ora para fugir à marcação dos centrais contrários, ora para permitir a derivação de Lucho para o meio.

Julgo até que este é o melhor sistema para este FC Porto, uma vez que o plantel carece de extremos com qualidade para poder interpretar um 4-3-3, ou mesmo um 4-4-2 clássico.

Claro que há sempre a hipótese de evoluir para um 4-4-2 losango, como acontece durante as partidas em que Rodriguez e Meireles são os interiores e Lucho o número 10, mas parece-me que o 4-1-3-2 é o sistema base.

Naturalmente é uma opinião e decidi abrir a discussão no «Chuto de Letra», porque me parece que há muitas dúvidas sobre esta matéria e, por isso, apelo a todos os leitores que contribuam para o debate utilizando a caixa de comentários.

3 comentários:

dragao vila pouca disse...

Este FC Porto joga em 4-1-3-2.

Claramente neste sistema. O grande problema no momento é a baixa de forma do Lucho e ele é fundamental na equipa. Também, contra equipas que defendem muito atrás e há pouco espaço, falta rapidez nas transições, mas também, alargar a frente com as subidas dos laterais. Como Sapunaru não dá profundidade e não cria desiquilibrios, temos aí outra lacuna.
É por isso que com a excepção Arsenal, a equipa rende mais fora porque tem mais espaço para jogar, que em casa.
Resumindo, deve ser a partir deste sistema 4x1x3x2 que o F.C.Porto tem de evoluir, pois não vejo como pode ser de outra maneira a não ser que Tarik e (ou) Mariano, tirem algum coelho da cartóla e nos surpreendam.
Um abraço

pascoal sousa disse...

Muito bem visto. Concordo no essencial, o sistema é esse, mas se reparar o Raul Meireles surge em dois movimentos ofensivos ensaiados nos treinos sempre que o Rodriguez solta a bola desde o meio-campo. No fundo, em situação ofensiva, o FC Porto nunca deixa de colocar três/quatro homens na frente. Se Raul fica atrás, avança Rodriguez e por aí fora.

Carlos Saraiva disse...

Caro dragão de vila pouca dou-lhe desde já as boas vindas ao «Cuto de Letra». Quanto ao comentário, concordo quando diz que Sapunaru não dá profundidade ao flanco direito e penso que, por isso mesmo, Lisandro cai lá muitas vezes. Além disso, quando Lucho joga sobre a direita, tem tendêncai a flectir para o centro deixando o flanco vazio. Tal já não acontece com tanta frquência quando joga Tomás Costa.

Caro Big Sousa, as boas vindas estendem-se a si também. Relativamente a Meireles, o que diz é verdade, o médio é hoje muito mais ofensivo do que nas temporadas anteriores, o que para mim é fruto de uma maior capacidade para defender de Rodriguez, do que a que tinha por exemplo Quaresma, ou mesmo Tarik. Meireles faz hoje lembrar um pouco o que foi Maniche no tempo de Mourinho.

Um abraço aos dois e voltem sempre.